Estado do Rio registra 120 casos de febre amarela, sendo 54 mortes

O número de mortes por febre amarela em todo o estado chegou a 54. Ao todo, 120 pessoas foram infectadas, de acordo com o último boletim epidemiológico da secretaria estadual de Saúde do Rio, divulgado nesta terça-feira. Em Angra dos Reis, na Costa Verde, até agora o local mais afetado (29 casos), mais um óbito foi registrado, o 13° no município. As cidades de Teresópolis, na Região Serrana, e Silva Jardim, no interior do estado, contabilizam outras duas mortes, uma cada. Essa última aparece pela primeira vez no boletim epidemiológico, com dois casos confirmados da doença.

Os registros no estado são em Teresópolis (14 casos, sendo 7 óbitos), Valença, (18 casos, sendo 6 óbitos), Nova Friburgo (11 casos, sendo 4 óbitos), Petrópolis (1 caso), Miguel Pereira (2 casos, sendo 1 óbito), Duas Barras (10 casos, sendo 2 óbitos), Rio das Flores (3 casos, sendo 2 mortes), Vassouras (2 casos, sendo 1 óbito), Sumidouro (7 casos, sendo 2 óbitos), Cantagalo (5 casos, sendo 3 óbitos), Paraíba do Sul (1 caso, sendo 1 óbito), Carmo (2 casos, sendo 1 óbito), Maricá (2 casos, sendo 1 óbito), Engenheiro Paulo de Frontin (2 casos, sendo 2 óbitos), Paty do Alferes (2 casos, sendo 1 óbito), Angra dos Reis (29 casos, sendo 13 óbitos), Mangaratiba (2 casos, sendo 1 óbito), Piraí (1 caso, sendo 1 óbito), Cachoeiras de Macacu (1 caso, sendo 1 óbito), Trajano de Moraes (2 casos, sendo 2 óbitos), Rio Claro (1 caso, sendo 1 óbito) e Silva Jardim (2 casos, sendo 1 óbito).

Além disso, os casos de macacos mortos pela doença também aumentaram. Segundo a secretaria, 11 animais morreram infectados com o vírus da febre amarela. O mais recente apareceu morto em Petrópolis, na Região Serrana. O boletim desta terça-feira traz, alem de Petrópolis, as cidades de Niterói, Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin e Araruama com um caso de epizootia em cada cidade. A secretaria de Saúde ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença.

O Parque Nacional do Itatiaia confirmou a primeira morte de um macaco contaminado por febre amarela na reserva. Aberto a visitas, os turistas que foram ao parque neste sábado, dia 3, precisaram assinar um termo de responsabilidade de que estão vacinados e cientes do risco de contaminação. Os cartões de vacina não estão sendo exigidos.

FONTE: EXTRA.GLOBO.COM