Tudo sobre a febre amarela

Rio – Esquecida durante muitos anos, a febre amarela voltou a assustar os brasileiros. No Estado do Rio, só em 2018, cinco pessoas morreram. O cenário de alerta gera muitas dúvidas em toda a população, por isso, o DIA preparou um questionário com 30 perguntas e respostas para você ficar por dentro de todos os detalhes da doença. Conheça os sintomas, as áreas de risco e descubra como se prevenir adequadamente.

Quais são os primeiros sintomas da doença?

Dor de cabeça intensa, calafrios, febre, dores musculares, náuseas ou vômitos, fadiga e fraqueza.

E em casos graves, quais são os sintomas?

O branco dos olhos e a pele amarelados, hemorragia, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Como a doença é transmitida?

Apenas pela picada dos mosquitos Sabethes, Haemogogus e Aedes Aegypti infectados. A doença não é contagiosa.

Qual a diferença da febre amarela silvestre para a urbana?

A silvestre se dá em áreas de selva, pelos mosquitos Sabethes e Haemogogus. A urbana, via Aedes, mas não tem casos desde 1942.

Os mosquitos silvestres podem chegar à área urbana?

Não. Eles vivem apenas em zonas de mata, onde ocorre o ciclo da silvestre, e se procriam na copa das árvores.

Que lugares são considerados áreas de risco?

Locais com matas e rios onde o vírus e seus hospedeiros e vetores circulam naturalmente.

Quais são as áreas de risco no Rio de Janeiro?

Moradores de municípios na divisa com Espírito Santo e Minas Gerais devem tomar cuidado especial com a febre amarela.

Macacos transmitem a doença?

Não. Os macacos são apenas hospedeiros do vírus da febre amarela. E eles ajudam a detectar as áreas de maior risco.

O que fazer ao encontrar um macaco morto?

Não tocar no animal e ligar imediatamente para a Central 1746 da Prefeitura do Rio. O telefone é 3460-1746, para quem ligar de fora da cidade.

Qual é o risco ao contrair a febre amarela?

A taxa de mortalidade de quem adquire o vírus é de aproximadamente 20%.

Quantos casos já estão confirmados no Rio?

São 13 casos confirmados em todo o estado. Desses, cinco foram fatais.

Onde posso tomar a vacina?

O Rio oferece doses em todos os 227 postos de saúde da cidade. Outros municípios também possuem postos à disposição.

Que documentos são necessários para tomar a vacina?

O paciente precisa apresentar apenas a identidade para tomar a vacina no posto de saúde selecionado.

A vacina vale para a vida toda?

A dose integral, sim. Mesmo quem tomou há mais de dez anos não precisa tomar de novo.

Qual é a validade da vacina fracionada?

A dose fracionada é eficaz por, pelo menos, oito anos. Quem for submetida a ela pode ficar tranquilo durante esse período.

A vacina fracionada basta para viagens internacionais para áreas de risco?

Não. Apesar de ser eficaz, não é possível emitir o certificado internacional com a dose fracionada da vacina.

Vou viajar para uma área de risco. Com que antecedência preciso me vacinar?

Caso não apresente contraindicações, é necessário tomar a vacina até dez dias antes de viajar.

Qualquer criança pode ser imunizada?

Somente a partir de nove meses de idade. Nas áreas endêmicas, o recomendado é a partir de seis meses.

Idosos podem ser vacinados?

Quem tem mais de 60 anos precisa consultar um clínico geral para saber se é recomendável tomar a vacina. Municípios sem circulação do vírus, como o Rio de Janeiro, não indicam a vacina para idosos.

Quem não deve tomar a vacina em nenhuma hipótese?

Gestantes, crianças menores de seis meses e pacientes com imunidade baixa. Alérgicos a ovo devem consultar um alergista.

Quais são os efeitos colaterais da vacina?

Apesar de ser relativamente improvável, quem tomar a vacina pode ter febre, dor de cabeça e dor muscular, até uma semana depois.

Há doses disponíveis para todo mundo no Brasil?

Não. Para atender à demanda, optou-se por fracionar a vacina em alguns municípios do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

Quando a vacina fracionada começará a ser utilizada?

Rio e São Paulo adotarão a dose fracionada em diversos municípios a partir do dia 25 de janeiro.

Que percentual de vacinação é satisfatório para um município?

Em áreas sem casos da doença, recomenda-se entre 80% e 90%. Já em áreas afetadas, é preciso vacinar todos que não estão na lista de contraindicação.

Quem não deve tomar a vacina fracionada?

Crianças entre nove meses e dois anos devem tomar só a dose completa. A recomendação é a mesma para gestantes e para quem possui condições clínicas especiais e foi liberado para tomar a vacina.

Como é a prevenção para quem não pode ser vacinado?

A principal forma de combater os mosquitos é usar repelente e reforçá-lo em intervalos regulares. Proteger o corpo com roupas compridas e proteger portas e janelas com tela mosquiteira também é valido.

Quanto custa a vacina em clínicas particulares?

A vacina para a febre amarela está em falta nas clínicas particulares, mas o preço custa em média R$ 200. A reposição deve acontecer no fim de fevereiro.

Não lembro se tomei a vacina. O que fazer?

Vá até o posto de saúde em que costuma se vacinar e consulte seu histórico de vacina na recepção.

Há algum problema em tomar a vacina duas vezes?

Caso não lembre do posto de saúde ou more longe, pode tomar a vacina de novo, principalmente se estiver em área de risco.

Posso doar sangue depois de de ter me vacinado?

Quem vai doar sangue ou algum órgão precisa esperar quatro semanas após a vacinação para realizar a doação. 

FONTE: O DIA online