Sem segurança, estrutura e limpeza, inspetorias da Fazenda funcionam em meio período no Estado do Rio

Desde a última semana de 2016, as inspetorias de recolhimento de impostos e taxas estaduais sofrem com as más condições de trabalho. Os problemas estruturais afetam a segurança, a limpeza e a manutenção técnica das instalações. Segundo os servidores públicos que atuam nessas repartições, não há serviço de segurança terceirizado há quase um ano. Mesmo sem a presença de agentes, os funcionários mantiveram as atividades até o fim do ano passado.

— Falta manutenção predial e de computadores. A empresa de limpeza não está trabalhando há um mês, e os locais estão imundos — disse um trabalhador, que não quis se identificar.

Segundo os servidores que atuam nas repartições que recolhem o Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis (ITD, pago em caso de recebimento de herança), os serviços são prestados em meio período ou em determinados dias da semana. Na última quinta-feira, o expediente passou a ser das 9h às 13h.

No fim de 2016, quatro categorias da Fazenda decretaram greve: analistas de controle interno, gestores de controle interno, analistas fazendários e analistas de finanças públicas. Apenas os analistas continuam parados. O grupo reclama das condições de trabalho, dos problemas no pagamento do vencimento mensal e do calote sobre o 13º salário.
FONTE: EXTRA.GLOBO.COM