Para garantir salários de maio, Pezão veta pedido para adiar recolhimento de impostos

Após reunião na noite desta quarta-feira com representantes de entidades empresariais e do setor produtivo do Estado do Rio, o governador Luiz Fernando Pezão rejeitou, por ora, o pedido feito pelos entes para prorrogar, em até 15 dias, o prazo para o recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) relativo ao mês de maio.

Após a greve dos caminhoneiros, que paralisou o sistema produtivo do Estado, entidades como Firjan, Fecomércio-RJ, Associação Comercial do Rio, associação de atacadistas, de supermercados e o Sindicato dos Bares e Restaurantes solicitaram o prazo sob a justificativa de não terem condições de arcar com as obrigações trabalhistas de seus empregados.

Ao negar o pedido, Pezão argumentou que, caso adiasse a entrada de impostos, teria problemas para pagar os salários de maio dos mais de 460 mil servidores públicos estaduais. Caso a receita fique além do esperado após o dia 10 de junho, novas conversas poderão ocorrer com os empresários.

Na última semana, as instituições também solicitaram aos governos federal, estadual e municipal a prorrogação da validade de notas fiscais e o adiamento dos vencimentos de tributos, sem sucesso até o momento.

FONTE: EXTRA.GLOBO.COM