Mais de cinco mil pessoas poderão perder aposentadorias e pensões do Estado do Rio

Recenseamento deixou de fora da última folha 5.140 vínculos; a partir de janeiro, Rioprevidência exigirá prova de vida e intensificará o pente-fino

O recenseamento que o Estado do Rio de Janeiro exige, desde novembro de 2018, aos mais de 400 mil vínculos — entre servidores ativos, aposentados e pensionistas — deixou de fora da última folha salarial (vencimentos de setembro, pagos em outubro) 5.140 beneficiários de aposentadorias e pensões. E esse grupo corre risco de perder, em definitivo, os futuros pagamentos. A recomendação para essas pessoas é que corram para qualquer agência do Banco Bradesco e façam o censo, ainda que fora do prazo.
No entanto, há possibilidade de os ausentes se tratarem de ‘aposentados e pensionistas fantasmas’. Ou seja, segurados que já faleceram e cujo óbito não foi comunicado ao governo fluminense. E para reforçar o pente-fino que já foi iniciado na base de dados do Poder Executivo estadual, o Rioprevidência (autarquia responsável pelas aposentadorias e pensões) iniciará, em janeiro de 2020, a prova de vida.
Nesse procedimento, os vínculos serão convocados a comparecer também a uma unidade do Bradesco. Ao fim da atualização cadastral e de uma investigação do órgão, os ausentes deverão ser excluídos definitivamente da folha do Rioprevidência.
Reforma em pauta
Enquanto finaliza os trabalhos para começar o pente-fino, o presidente do Rioprevidência, Sergio Aureliano, também foca em outra pauta: a Reforma da Previdência.
Aureliano participou do 5º Encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que ocorreu na última sexta-feira em Florianópolis, Santa Catarina.
O dirigente da autarquia fluminense faz parte do Grupo de Trabalho sobre a reforma e, no encontro da semana passada, discutiu o tema com os secretários dos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.
E a próxima reunião do grupo, para tratar da Reforma Previdenciária, será aqui no Rio, mais precisamente na sede do Rioprevidência, no próximo dia 31.
“É de suma importância o Cosud, incentivar um espaço onde os representantes dos estados podem trocar ideias e chegar a um consenso só influencia positivamente nas ações e atividades de cada governo participante. Reiteramos também a importância da inclusão dos estados e municípios na Reforma da Previdência”, declarou Sérgio Aureliano.
FONTE: O DIA online