Governo do estado vai usar técnicos da Enel para alerta sobre a febre amarela

Rio – Um acordo entre a Secretaria estadual de Saúde e a concessionária de distribuição de energia elétrica Enel (antiga Ampla) vai garantir que 350 técnicos que fazem a leitura do consumo de energia nos medidores residenciais orientem e informem a população sobre a importância da vacinação contra a febre amarela. A iniciativa será implantada inicialmente em Niterói, São Gonçalo e Magé, na Região Metropolitana do Rio, podendo ser estendido a outros locais.

Como cada leiturista da Enel visita cerca de 400 residências por dia, estima-se que em torno de 1,8 milhão de moradores da região receberão orientações sobre o combate à doença. A Enel distribui energia para 66 municípios do Rio.

Rio Imagem vai oferecer vacina

Ainda para aumentar a população do estado vacinada, a partir desta quarta-feira, o Centro Estadual de Diagnósticos por Imagem (Rio Imagem), na Central, vai oferecer a vacina contra a doença de segunda a sexta-feira, de 7h às 22h. O posto contará também com equipe de médicos de plantão que farão avaliação de idosos e de pessoas que necessitam de recomendação para imunização.

“Sabemos que muitas pessoas trabalham o dia todo e, por isso, ainda não conseguiram se vacinar. O Rio Imagem fica em frente à Central do Brasil, um ponto importante do Rio, e vai funcionar em horário estendido para atender a essas pessoas”, disse o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr.

Segundo o secretário, a vacinação em massa é a única forma de conter o avanço da febre amarela no estado. “Já vacinamos cerca de 10,7 milhões de pessoas, mas ainda precisamos imunizar cerca de 3,3 milhões de cidadãos. Saímos de um percentual de 3% da população vacinada para mais de 76%. Nosso objetivo é continuar a campanha e atingir o público-alvo, que é de 14 milhões de pessoas”, salientou.

Balanço

Balanço divulgado nesta terça pela Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde revela que, apenas neste ano, foram registrados 150 casos de febre amarela silvestre em humanos no estado, sendo 60 óbitos. As maiores quantidades de casos foram em Angra dos Reis (40 casos, com 14 óbitos), Valença (18 casos, sendo seis mortes), Teresópolis (17 casos, dos quais sete óbitos), Nova Friburgo (13 casos e quatro óbitos), Duas Barras (12 casos, dois óbitos) e Sumidouro (nove casos, com quatro mortes).

Até o momento, foram confirmados 11 casos de febre amarela em macacos nas cidades de Niterói, Angra dos Reis (Ilha Grande), Barra Mansa, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin, Araruama e Petrópolis.

A Secretaria de Saúde alerta mais uma vez a população de que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela. A doença é transmitida por meio da picada de mosquitos. Recomenda ainda que, quem encontrar macacos mortos ou doentes deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do Estado do Rio.

A entidade reforça a importância de as pessoas que ainda não se vacinaram buscarem um posto de saúde próximo de casa para serem imunizadas. O boletim leva em consideração o Local de Provável Infecção (LPI).

FONTE: O DIA online