Folha salarial dos servidores do Rio pesa menos que a de outros estados, diz Tesouro

Um relatório do Tesouro Nacional mostrou que o Estado do Rio de Janeiro encerrou 2018 com o menor percentual de gasto com pessoal do país em relação à sua receita líquida (já descontadas as transferências obrigatórias). Somados os três Poderes, o Rio utilizou 45% da sua receita com vencimentos. Em segundo lugar vem o Amapá, com 51%. Vale lembrar que o limite previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 60% da receita.

O dado mostra a evolução da situação fiscal do Estado do Rio na comparação com os últimos anos. Entre 2016 e 2017, o Rio avançou além do limite de 60%, o que resultou na adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Desde 2016, os aumentos salariais e a reestruturação de carreiras estão vetados, assim como a elevação no número de servidores ativos.

Uma informação interessante apresentada pelo levantamento diz respeito ao percentual de gastos com pessoal não computados como Receita Corrente Líquida (RCL). O Rio encerrou 2018 com 27% das despesas com pessoal tendo receitas vinculadas. Neste caso, são as receitas dos royalties e participações especiais do petróleo, que são repassadas ao Rioprevidência.

FONTE: EXTRA.GLOBO.COM