Estado do Rio já registra 33 mortes por febre amarela

Chega a 33 o número de mortes por febre amarela no Estado do Rio. De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria estadual de Saúde nesta segunda-feira, o município de Angra dos Reis, na Costa Verde, registra o maior número de mortes em decorrência da doença: já são sete óbitos entre os 12 casos confirmados na cidade. Logo após, estão os municípios de Teresópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana, e Valença, no interior do Rio, que juntos somam 33 casos — quase metade dos 74 contabilizados — e 14 mortes. A letalidade da doença é de quase 45% no Rio.

Dez munícipios têm casos confirmados de febre amarela em macacos. Além de Niterói, que contabilizava um caso de epizootia desde janeiro, os últimos boletins trouxeram as cidades de Angra dos Reis, Barra Mansa, Valença, Miguel Pereira, Volta Redonda, Duas Barras, Paraty, Engenheiro Paulo de Frontin e Araruama com outros casos de epizootia. A secretaria ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença. Para ajudar na campanha, o Linha Verde, programa do Disque-Denúncia, realiza uma campanha contra o ataque a macacos.

Ao todo, são 17 municípios do estado com registro da doença. São eles: Teresópolis (9 casos, sendo 5 óbitos), Valença (17 casos, sendo 6 óbitos), Nova Friburgo (7 casos, sendo 3 óbitos), Petrópolis (1 caso), Miguel Pereira (1 caso, sendo 1 óbito), Duas Barras (4 casos), Rio das Flores (3 casos, sendo 2 mortes), Vassouras (1 caso), Sumidouro (6 casos, sendo 2 óbitos), Cantagalo (5 casos, sendo 3 óbitos), Paraíba do Sul (1 caso, sendo 1 óbito), Carmo (2 casos, sendo 1 óbito), Maricá (2 casos, sendo 1 óbito), Angra dos Reis (12 casos, sendo 7 óbitos), Engenheiro Paulo de Frontin (1 caso, sendo 1 óbito), Paty do Alferes (1 caso) e Mangaratiba (1 caso).

NOVO DIA D DE VACINAÇÃO

Após um período de superlotação nos postos de saúde, a procura pela vacina contra febre amarela caiu no Rio de Janeiro, o que levou a secretaria estadual de Saúde a programar um novo dia D. O mutirão será no dia 3 de março, um sábado, quando postos, unidades de pronto atendimento (Upas) e hospitais estaduais estarão imunizando a população contra a doença das 8h às 17h. A área com menor índice de vacinação é a região metropolitana.

No último dia D, em 27 de janeiro, cerca de 500 mil pessoas foram vacinadas em todo o estado. A expectativa da secretaria é que este número seja ao menos repetido no próximo dia 3. De acordo com a secretaria municipal de Saúde (SMS), este ano, foram vacinadas 952.745 pessoas na capital carioca, totalizando 3,8 milhões de imunizados, um percentual de 71,5% do público alvo. O órgão informou que o número de vacinados por dia na capital carioca caiu de 200.874, no dia D, para 6.098, na última sexta, quase 97% a menos.]

FONTE: EXTRA.GLOBO.COM