‘A conta não é do servidor’, diz Lupi sobre aumento da contribuição

Rio – Segunda maior bancada da Assembleia Legislativa com sete deputados, o equivalente a 10% da Alerj, o PDT fechou questão contra o aumento da contribuição de ativos, inativos e pensionistas — o governo quer elevar a alíquota para 30% do valor dos vencimentos por 16 meses.

“A conta da incompetência não é do servidor. Isso é inaceitável”, diz Carlos Lupi, presidente nacional do partido. Líder do PDT na Alerj, o deputado estadual Luiz Martins classifica como “absurdo” reduzir o ganho de aposentados. “São pessoas que gastam muito com plano de saúde e medicamentos. Despesas altas e essenciais.

Emendas

A bancada do PDT já prepara emendas para ao menos outros dois projetos enviados pelo governo à Alerj. O primeiro diz respeito ao uso do Bilhete Único; o segundo, ao fim do triênio.

Bode na sala

O que deputados governistas e de oposição têm dito é que Pezão “botou o bode na sala”. Propôs um aumento muito alto da contribuição para ter margem para negociar.

Servidores armados

Boa parte dos manifestantes que invadiram a Alerj ontem estava armada. “Eram policiais civis e bombeiros que contaram com a complacência da Polícia Militar para entrar no plenário. Rolou um corporativismo”, diz um funcionário da Casa.

Alerta e reforço

Nas redes sociais, internautas sugeriram que o foco da próxima invasão fosse o Palácio Guanabara, em Laranjeiras, onde trabalha o governador Pezão. A segurança por lá será reforçada.

Sala de emergência

Os deputados federais Celso Pansera (PMDB) e Hugo Leal (PSB) convenceram ontem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), a fazer uma audiência para discutir a situação do Rio.

Alternativas

No encontro, que ocorrerá hoje à noite, será debatida a aprovação de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que determina que tributos referentes ao petróleo fiquem com o estado produtor, e não onde é vendido.

Aliás

Pansera, que votou a favor da polêmica PEC do Teto, é contra a proposta do correligionário Pezão de taxar aposentados em 30%. “Aliada à inflação dos últimos três anos, isso representaria queda de 50% no poder de compra dessas pessoas.”

Novo secretariado

Célio Lupparelli (DEM) pleiteia com o prefeito eleito, Marcelo Crivella (PRB), a Secretaria de Educação. O vereador foi professor por 44 anos.

FONTE: O DIA online