Alerj proíbe privatização da Cedae e põe em risco recuperação fiscal do Rio

Foto: Halley Pacheco de Oliveira

Mais uma votação na Assembleia desafiou o Regime de Recuperação Fiscal: desta vez, os deputados aprovaram a emenda que proíbe a privatização da Cedae. E a venda da estatal dava lastro à operação que permitiu o aporte de recursos necessários para manter os pagamentos dos servidores em dia e o início da renegociação das dívidas do estado

A base governista desistiu de continuar a batalha iniciada duas semanas atrás em torno da emenda do deputado Paulo Ramos (PDT),, apresentada sobre o projeto de lei complementar para reduzir multas e juros de contribuintes inadimplentes.

 O “bacalhau” — no jargão político, uma emenda que não tem nada a ver com o projeto no qual foi incluída — foi aprovado por unanimidade, com 48 votos.

Com as galerias cheias de servidores da estatal — e em plena campanha eleitoral — ninguém quis enfrentar o ônus político de defender uma pauta impopular.

Nos discursos de celebrando a vitória, teve até coro de “Cedae, unida, jamais será vendida”.

Esta não é a primeira votação que coloca em risco o Regime de Recuperação Fiscal — aprovado pelos próprios deputados. Em agosto, pressionados pela proximidade das eleições, os nobres aprovaram o aumento de 5% para servidores do Judiciário,  apesar de reajustes para o funcionalismo estarem proibidos pelo acordo assinado com o governo federal.

FONTE: EXTRA.GLOBO.COM