Alerj gasta R$ 1,8 milhão por mês com auxílio-educação

Rio – A penúria que assola a Educação do Rio, em especial a Uerj, passa longe da Assembleia Legislativa. Lá, o tema é prioridade para funcionários que atuam em gabinetes de deputados. Só com auxílio-educação, a Alerj gasta hoje R$ 1,795 milhão por mês.

O benefício é para o pagamento de creches, escolas e faculdades particulares de filhos de servidores comissionados. Cada funcionário tem direito a bolsas para até dois filhos. A condição é que o estudante tenha menos de 25 anos e não exerça atividade remunerada — exceto estágio curricular.

Atualmente são 1.706 bolsas no valor de R$ 1.052,34. Com 51 bolsas, o gabinete de Renato Cozzolino (PR) é o que mais usufrui da benesse. A média é de 24 bolsas por deputado.

Resposta

Mãe de Renato Cozzolino, a ex-deputada Jane foi cassada, em 2009, justamente por fraude no auxílio-educação. Procurado pelo Informe, Renato diz que, em 2015, votou a favor da redução do número de bolsas para cada funcionário — de três para dois. “Pela regra, quem requer o auxílio hoje é o próprio servidor. Não procuro saber se os meus contratados têm filho em idade escolar.”

Valor deve aumentar

Como o valor da bolsa é estipulado pela menor faixa do piso regional definido por lei, os gastos da Alerj aumentarão caso o governador Pezão sancione o projeto de reajuste do piso aprovado na Casa. Chegarão a R$ 1,938 milhão.

Cortes

O limite é de duas bolsas por pessoa. Caso pai e mãe sejam funcionários da Alerj, só um deles pode requerer o benefício. A limitação foi implementada em 2015 como uma das medidas da atual gestão para cortar gastos. Confira a lista ao fim da coluna.

Azedou

O ultimato de Pedro Fernandes (PMDB), secretário de Ciência e Tecnologia que convocou manifestação para pressionar Pezão a pagar a professores da pasta, pegou mal na base governista. Comenta-se que a situação ficará insustentável. Se Pezão ceder, dá margem para que outros secretários também façam ameaças. Se não ceder, Fernandes é quem promete engrossar o caldo.

O Romeiro e a Vivi

O deputado Pedro Augusto (PMDB) homenageou, à sua maneira, as mulheres. Ontem, no dia internacional delas, o Romeiro de Aparecida, que se apresenta como católico fervoroso, postou um vídeo no grupo de WhatsApp da base do governo na Alerj. Nele, a atriz Viviane Araújo faz um striptease até ficar totalmente nua. Coube a Edson Albertassi (PMDB) repreender o assanha… digo, deputado.

Confira, em ordem alfabética, quantas bolsas referentes ao auxílio-educação o gabinete de cada deputado solicitou à Alerj:

Ana Paula Rechuan (PMDB) – 21 bolsas
André Ceciliano (PT) – 33 bolsas
André Corrêa (DEM) – 15 bolsas
Aramis Brito (PHS) – 20 bolsas
Átila Nunes (PMDB) – 8 bolsas
Bebeto (PDT) – 44 bolsas
Benedito Alves (PRB) – 17 bolsas
Bruno Dauaire (PR) – 21 bolsas
Carlos Macedo (PRB) – 32 bolsas
Carlos Minc (sem partido) – 9 bolsas
Carlos Osorio (PSDB) – 3 bolsas
Chiquinho da Mangueira (PTN) – 32 bolsas
Cidinha Campos (PDT) – 4 bolsas
Comte Bittencourt (PPS) – 20 bolsas
Coronel Jairo (PMDB) – 47 bolsas
Daniele Guerreiro (PMDB) – 4 bolsas
Dica (PTN) – 46 bolsas
Dionísio Lins (PP) – 28 bolsas
Dr. Deodalto (DEM) – 45 bolsas
Dr. Gotardo (PSL) – 33 bolsas
Dr. Julianelli (Rede) – 3 bolsas
Edson Albertassi (PMDB) – 33 bolsas
Eliomar Coelho (Psol) – 2 bolsas
Enfermeira Rejane (PCdoB) – 28 bolsas
Fábio Silva (PMDB) – 20 bolsas
Fatinha (SDD) – 32 bolsas
Marco Figueiredo (Pros) – 23 bolsas
Filipe Soares (DEM) – 18 bolsas
Flávio Bolsonaro (PP) – 8 bolsas
Flávio Serafini (Psol) – 12 bolsas
Geraldo Moreira (PTN) – 17 bolsas
Geraldo Pudim (PMDB) – 35 bolsas
Gil Viana (PSB) – 31 bolsas
Gilberto Palmares (PT) – 12 bolsas
Gustavo Tutuca (PMDB) – 14 bolsas
Iranildo Campos (PSD) – 19 bolsas
Jânio Mendes (PDT) – 44 bolsas
João Peixoto (PSDC) – 49 bolsas
Jorge Felippe Neto (DEM) – 49 bolsas
Jorge Picciani (PMDB) – 22 bolsas
Lucinha (PSDB) – 9 bolsas
Luiz Martins (PDT) – 34 bolsas
Luiz Paulo (PSDB) – 17 bolsas
Marcelo Freixo (Psol) – 7 bolsas
Marcelo Simão (PMDB) – 24 bolsas
Marcia Jeovani (DEM) – 17 bolsas
Marcio Pacheco (PSC) – 34 bolsas
Marcos Abrahão (PTdoB) – 19 bolsas
Marcos Muller (PHS) – 31 bolsas
Marcus Vinicius (PTB) – 31 bolsas
Martha Rocha (PDT) – 18 bolsas
Milton Rangel (DEM) – 28 bolsas
Nivaldo Mulin (PR) – 13 bolsas
Paulo Melo (PMDB) – 18 bolsas
Paulo Ramos (Psol) – 21 bolsas
Pedro Augusto (PMDB) – 27 bolsas
Rafael Picciani (PMDB) – 5 bolsas
Renato Cozzolino (PR) – 51 bolsas
Rosenverg Reis (PMDB) – 36 bolsas
Samuel Malafaia (DEM) – 41 bolsas
Silas Bento (PSDB) – 41 bolsas
Tia Ju (PRB) – 27 bolsas
Tio Carlos (SD) – 42 bolsas
Wagner Montes (PRB) – 7 bolsas
Waldeck Carneiro (PT) – 47 bolsas
Wanderson Nogueira (Psol) – 19 bolsas
Zaqueu Teixeira (PDT) – 23 bolsas
Zé Luiz Anchite (PP) – 21 bolsas
Zeidan (PT) – 15 bolsas
Zito (PP) – 30 bolsas

FONTE: O DIA online